Dor nos gémeos

blank
Devo correr constipado?
Novembro 3, 2021
blank
Dieta para ganhar músculo
Novembro 17, 2021

Saiba aqui quais as 8 causas e o que deverá fazer.

DATA: Novembro 2021
AUTOR: Rui Madeira | Saúde

A dor nos gémeos é um sintoma muito comum em qualquer idade, podendo surgir devido a diferentes fatores. Porém, na maioria das vezes ela é provocada por atividade física intensa, sendo muito comum durante a corrida, por ser o músculo mais utilizado neste exercício.

No entanto, esta dor também pode indicar situações mais graves, que devem ser avaliadas pelo médico, como cisto de baker, varizes, trombose ou ruptura do tendão de Aquiles.

Segundo a fisioterapeuta Pinheiro, M. (2020), as causas mais comuns de dor nos gémeos são:

- Má circulação sanguínea

Afeta principalmente pessoas sedentárias e com mais idade, que não praticam atividade física. Mas também pode afetar as gestantes, principalmente no final da gravidez, e também as pessoas que fizeram uma cirurgia recente e que ainda estão de repouso na cama. Nestes casos, não será um motivo de preocupação mas pode deixar os pés frios e ser desconfortável para andar.

O que fazer: os alongamentos podem ajudar a diminuir a dor e o desconforto da má circulação, mas é importante praticar exercícios regularmente para melhorar a circulação e evitar a formação de varizes, por exemplo. Outras boas dicas incluem usar meias elásticas, não ficar muito tempo sentado ou de pé e diminuir a quantidade de sal na comida, para evitar a retenção de líquidos.

- Trombose venosa profunda

Trata-se de um distúrbio vascular mais comum em idosos. Deve-se suspeitar de uma trombose quando há dor na perna que fica inchada e dura. A trombose ocorre quando um trombo entope uma das veias das pernas, bloqueando a circulação a partir desse local.

O que fazer: é recomendado ir ao médico para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, que normalmente é feito com medicamentos anticoagulantes que afinam o sangue e diluem o coágulo. Em alguns casos, pode ainda ser necessário fazer uma cirurgia para colocar um stent para abrir a veia e facilitar a passagem sanguínea.

- Varizes

Quando a pessoa possui muitas varizes, ainda que sejam pequenas, ou apenas 1 ou 2 varizes largas e compridas, pode apresentar dor nos gémeos de forma frequente. Nesse caso as veias ficam mais inchadas e há a sensação de pernas pesadas e cansadas.

O que fazer: o tratamento pode ser feito com o uso de meias elásticas, toma de remédios e atividade física regular, porque assim o sangue é bombeado com mais força e a capacidade cardíaca também melhora. Outras opções incluem terapia a laser, escleroterapia e cirurgia para varizes.

- Cisto de Baker

Geralmente aparece atrás do joelho, sendo uma 'bolinha' dolorida, que pode causar dor ao movimentar o joelho, mas que também pode irradiar para o gémeo.

O que fazer: não é grave mas causa grande desconforto, sendo recomendado usar meias de compressão, colocar uma compressa gelada e fazer fisioterapia.

- Celulite infecciosa

A celulite infecciosa é uma infecção das camadas profundas da pele que pode afetar qualquer região do corpo, incluindo as pernas. Este tipo de infecção pode causar dor forte no gémeo, com vermelhidão intensa e inchaço.

O que fazer: é importante consultar um médico sempre que existir suspeita de celulite infecciosa para evitar que as bactérias cheguem à corrente sanguínea e se espalhem por todo corpo, provocando uma sepse. O tratamento é feito com antibióticos e pode ser preciso ficar internado no hospital.

- Ruptura do tendão de Aquiles

Em caso de traumatismo direto sobre a perna ou calcanhar, ou durante uma atividade física muito intensa, pode haver o rompimento do tendão de Aquiles. Os sintomas clássicos são dor no gémeo com intensa dificuldade para caminhar, dor forte ao pressionar o tendão de Aquiles e é comum a pessoa dizer que ouviu um estalo na sua perna.

O que fazer: deverá ir ao hospital porque o tratamento é feito engessando o pé e, em alguns casos, pode ser preciso fazer cirurgia.

- Dor no gémeo na gravidez

É um sintoma normal que acontece devido à acumulação de sangue nas pernas causado pelas alterações hormonais. Surge principalmente, no período noturno e durante o dia podem surgir cãibras que estão relacionadas com falta de potássio.

O que fazer: a grávida deve fazer alongamento do músculo afetado pela cãibra e comer banana ou outros alimentos ricos em potássio, além de usar meias elásticas durante o dia e elevar os pés durante a noite, para melhorar a circulação sanguínea e reduzir a dor.

- Dor no gémeo durante a corrida

Durante a prática de exercícios como a corrida, o mais provável é que a dor seja causada por algum transtorno muscular. Assim, as causas mais comuns de dor no gémeo durante a corrida são:

- Exercício físico intenso, principalmente em subidas e nesse caso as duas pernas são afetadas ao mesmo tempo;

- Estiramento, contratura ou distensão muscular;

- Cãibra, que surge de repente numa perna, podendo causar dor também no pé;

- Síndrome da pedrada, que causa dor intensa e repentina, como se tivesse levado uma pedrada numa perna;

- Falta de minerais, que pode acontecer durante provas longas e com falta de hidratação.

Ao sentir uma forte dor nos gémeos durante uma corrida é recomendado parar de correr e alongar o músculo, sentado no chão e com as pernas bem esticadas, apontando os dedos dos pés para o seu nariz.

Mas se a dor for suportável, sendo somente um incómodo afetando as duas pernas ao mesmo tempo, o mais provável é que seja cansaço devido à falta de condição física e com a persistência nos treino, essa dor tenderá a desaparecer.

A dor no gémeo tende a diminuir depois do esforço e pode ser tratada com fisioterapia, massagem ou descanso nas situações mais leves, ou cirurgia nas situações mais graves.

No tratamento da dor também podem ser utilizados remédios anti-inflamatórios ou relaxantes musculares, como Paracetamol, Voltaren ou Calminex ou remédios naturais.

A RM Trainer recomenda então que efectue exercício físico de forma regular mas não excedendo os seus limites físicos para que as dores descritas acima não surjam.

A melhor solução será sempre a prevenção!