Psoas, o músculo da alma

blank
Acelere a sua recuperação
Junho 21, 2019
blank
Pouco sono, cérebro envelhecido
Julho 14, 2019

A importância do psoas para a nossa saúde, vitalidade e bem-estar emocional.

O psoas é o músculo mais profundo e estabilizador no corpo humano, afetando o equilíbrio estrutural, a amplitude dos movimento, a mobilidade articular e o funcionamento dos órgãos do abdómen.

DATA: Junho 2019
AUTOR: Rui Madeira | Saúde

É o único músculo que liga a coluna vertebral às pernas, é responsável por nos manter em pé e o que permite levantar as pernas para andar. O psoas saudável estabiliza a coluna vertebral e proporciona apoio através do tronco, além de formar um bom suporte para os órgãos abdominais.

Estudos recentes também consideram o psoas, um órgão de percepção composto de tecido bio-inteligente que incorpora literalmente o nosso desejo mais profundo de sobreviver e florescer. Ou seja, ele é o mensageiro primário do sistema nervoso central, por isso também é considerado um porta-voz das emoções (“borboletas na barriga”). Isto acontece, porque o psoas está ligado com o diafragma através do tecido conjuntivo ou fáscia, influenciando tanto a respiração, quanto o medo reflexo.

Um estilo de vida acelerado e o stress geram uma descarga de adrenalina que cronicamente tensiona o psoas, preparando-nos para correr, entrar em ação ou contrair-se, como forma de nos proteger. Se mantivermos o psoas constantemente em tensão devido ao stress, eventualmente, começarão a encurtar e endurecer. Assim dificultará a nossa postura e as funções dos órgãos que se localizam no abdómen, resultando em dor nas costas, dor ciática, problemas de disco, degeneração do quadril, períodos de menstruações dolorosas ou problemas digestivos.

Além disso, um psoas tenso envia sinais de voltagem para o sistema nervoso, interfere nos movimentos dos fluidos e afeta a respiração do diafragma. Na verdade, o psoas está tão intimamente envolvido nas reações físicas e emocionais básicas que quando está cronicamente stressado, envia constantemente sinais de alerta ao corpo, por isso pode afetar o esgotamento das glândulas supra-renais e do sistema imunológico. Esta situação é agravada pela maneira de sentar-se ou posições dos nossos hábitos diários, reduzindo os nossos movimentos naturais e contraindo ainda mais o músculo.

Um psoas “liberto” permite alongar muito mais a parte posterior dos músculos e permite que as pernas e pélvis se movam com mais facilidade e independência. Melhora a posição da coluna vertebral e de todo o tronco, com a consequente repercussão na melhoria das funções dos órgãos abdominais, da respiração e do coração.

Quando cultivamos a saúde dos nossos psoas, reacendemos as nossas energias vitais que se conectam novamente com o nosso potencial criativo.

Em algumas filosofias orientais o psoas é conhecido como o “músculo da alma”, o principal centro de energia do corpo. Quanto mais flexível e forte é o psoas, mais será o nosso fluxo de energia vital através dos ossos, músculos e articulações.

O psoas seria como um órgão de canalização da energia, um núcleo que nos conecta com a terra, nos permite criar um suporte forte e equilibrado desde o centro da nossa pélvis. Assim, a coluna vertebral alonga-se e, através dela, pode fluir toda a nossa vitalidade.

Convencido(a) sobre a importância deste músculo para o nosso corpo? Trate-o bem, saiba como.